Cataguases celebra o Sete de Setembro com Hora Cívica no Paço Municipal

Na manhã deste Sete de Setembro, Cataguases celebrou o seu 144º aniversário de emancipação política e administrativa, além dos 199 anos da Independência do Brasil. Neste ano, a cerimônia aconteceu no salão nobre do Paço Municipal, com número limitado de convidados em virtude da pandemia da Covid-19, mas, com iniciativa inédita de ser transmitida ao vivo pela internet, por meio das plataformas digitais da prefeitura. O cerimonial foi conduzido pedagogo Geraldo Majella Mazini.

O prefeito José Henriques e o vice-prefeito Marco Andrade convidaram à mesa de honra o deputado estadual Fernando Pacheco; o presidente da Câmara Municipal de Cataguases, vereador Felipe Ramos; o Chefe de Instrução do Tiro de Guerra 04-033, subtenente Cristiano Pereira Fraga; o Tenente Vinícius Marinato, representando o comandante da 146ª Companhia de Policia de Militar de Minas Gerais, Major Flávio Luiz de Campos; o chefe da futura unidade de Cataguases do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais, Tenente Guilherme Cantelle e o orador oficial da cerimônia, desembargador Vítor Henriques.

Após a execução do Hino Nacional e do Hino de Cataguases, o prefeito saudou as demais autoridades e convidados ali presentes, bem como à audiência, e destacou em seu pronunciamento os primeiros resultados dos esforços empenhados na atual Administração. “Nesta cidade onde tive a sorte de nascer e a honra de me tornar prefeito, temos trabalhado bastante e superado desafios, com o apoio de toda a equipe de governo e de nossos servidores com os quais mantemos um respeitoso diálogo. Tudo isso para devolver uma Cataguases voltada para os cataguasenses, uma Cataguases que volte a ser destaque na Zona da Mata, seja por sua vocação industrial, seja pela cultura, seja por nossa gente”, disse ele, na certeza de que o deputado Fernando Pacheco comunga dos mesmos propósitos.

Neste sentido, o prefeito destacou a vinda para o município do Corpo de Bombeiros e de uma unidade da UEMG, como importantes conquistas em apenas oito meses de mandato. “Por isso, mesmo diante das muitas dificuldades, posso dizer aos cataguasenses, parabéns pelo aniversário”.

Em seguida, o vice-prefeito Marco Andrade lembrou que uma boa Administração Municipal deve ser, sobretudo, uma fiel representante dos lares da sua cidade. “Cabe a nós, como parte das instituições públicas competentes, amenizar as dificuldades pelas quais as pessoas atravessam e assegurar o futuro das nossas crianças”, disse o vice-prefeito, ressaltando a importância da valorização da cidade pelas pessoas que nela vivem. “O maior patrimônio de uma cidade são as pessoas que nela vivem e escrevem suas histórias, são elas que estão fazendo aniversário, já que uma cidade só é viva se as almas de quem vive ali, vive nela”, refletiu Marco Andrade.

O deputado Fernando Pacheco defendeu uma união de esforços com a sociedade civil organizada para que alcancemos ao que chamou de estabilização econômica e social, para que então, com planejamento, alcancemos novos objetivos. “Vejo na Administração José Henriques o empenho por essa estabilização para que possamos viver um novo tempo, com novos desafios e inovações na gestão pública para melhor atender às novas demandas”, afirmou. Ainda segundo o deputado, para isso é preciso planejamento. “Tudo o que é pedido não pode ser atendido no varejo. Precisamos partir do coletivo para chegar ao individual, e não o contrário”, disse Fernando, comprometendo-se com o prefeito José Henriques, a lutar para fortalecer o agronegócio e trazer novas indústrias para Cataguases, seja ela de transformação ou mesmo de tecnologia de ponta.

A MENSAGEM DO ORADOR OFICIAL

Em seu pronunciamento, o orador oficial, desembargador Vitor Henriques, fez um discurso detalhado, citando entre outros, o historiador Caio Silva Prado Junior, para descrever os fatos e personagens que marcaram a Independência do Brasil. Da mesma forma, resgatou os momentos que precederam a emancipação política e administrativa de Cataguases, desde a chegada do francês Guido Tomás Marlière até a primeira sessão na Câmara Municipal.

O desembargador conclamou a todos para que não sejamos omissos diante da história. “Temos um mundo injusto, como disse Oscar Niemeyer. Vivemos dias difíceis, medíocres, como diria meu avô”. Em sua reflexão, Vítor Henriques buscou resgatar na valorização da riqueza de nosso passado, a capacidade de seguirmos fazendo história. “Precisamos, urgentemente, nos responsabilizar pela premente transformação. Temos que ser protagonistas da construção de uma sociedade mais justa e sustentável. Para tanto, exorto-os à pratica cotidiana, ampla, geral e irrestrita da ética. A qual só existe a partir de uma universal educação de qualidade”.

AS HOMENAGENS

A cerimônia foi marcada por homenagens de “Moção de Aplausos” do prefeito e vice-prefeito aos profissionais da saúde envolvidos na luta pela vida diante da pandemia da Covid-19. A entrega das homenagens foi precedida por um momento de silêncio pelas 264 famílias cataguasenses enlutadas. Representando os profissionais do Hospital de Cataguases, foi destacado o médico Gilberto Delfim de Carvalho, e numa homenagem extensiva aos profissionais da Secretaria Municipal de Saúde, foi reconhecida a atuação da técnica de enfermagem da sala de vacinas da UBS Paraíso, Ana Lúcia da Silva, ali representada pelo secretário municipal de Saúde, Ricardo Mattos. “O ano não foi fácil. Quando tudo parou, tivemos profissionais que não pararam de lutar pela vida do próximo, ainda que sacrificando suas próprias vidas para cumprirem seus juramentos em favor da vida”, mencionou Geraldo Majella.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *