Dia Mundial de Luta contra as Hepatites Virais é celebrado com testagens na UBS Paraíso

A Secretaria Municipal de Saúde, por meio da UBS Paraíso, está realizando uma campanha de rastreamento das hepatites virais. Hoje, dia 28 de julho, de 8 às 12 às e de 13 às 18 horas acontece a testagem rápida e gratuita para infecções virais B e C. Para realizar o procedimento é necessário levar o cartão de vacinação e o cartão SUS para conferência e orientação. As hepatites são doenças silenciosas que nem sempre apresentam sintomas. Milhões de pessoas no Brasil são portadoras dos vírus B ou C e não sabem. Conforme explica o médico Joseph Freire, elas correm o risco de suas doenças evoluírem, tornando-se crônicas, e causarem danos mais graves ao fígado como cirrose e câncer. “Por isso, é importante fazer exames de rotina que detectem a hepatite”, afirma.

A Hepatite é a inflamação do fígado, que pode ser causada por vírus ou pelo uso de alguns medicamentos, álcool e outras drogas, assim como por doenças autoimunes, metabólicas ou genéticas. Quando aparecem, os sintomas podem ser cansaço, febre, mal-estar, tontura, enjoo, vômitos, dor abdominal, pele e olhos amarelados, urina escura e fezes claras.

As hepatites virais B e C afetam 325 milhões de pessoas no mundo, causando 1,4 milhão mortes por ano. É a segunda maior causa de morte entre as doenças infecciosas depois da tuberculose, e 9 vezes mais pessoas são infectadas com hepatite do que com o HIV. A hepatite é evitável, tratável e, no caso da hepatite C, curável. No entanto, mais de 80% das pessoas que vivem com hepatite carecem de serviços de prevenção, testagem e tratamento.

O mês de julho é voltado ao enfrentamento das hepatites virais, por isso o Instituto Brasileiro do Fígado ( IBRAFIG ), vinculado à Sociedade Brasileira de Hepatologia (SBH ), definiu o dia 28 de julho como Dia Mundial de Luta Contra as Hepatites Virais, marcando a data do nascimento do cientista Baruch Blumberg, ganhador do Prêmio Nobel, que descobriu o vírus da hepatite B.

No Brasil, a Lei 13.802/2019 instituiu o Julho Amarelo, a ser realizado a cada ano em todo o território nacional, quando são efetivadas ações relacionadas à luta contra as hepatites virais. As hepatites B e C, em geral, evoluem de forma silenciosa. Por isso, o indivíduo só acaba descobrindo que tem uma doença no fígado quando desenvolve cirrose ou câncer, já em fase avançada. Nesses casos, o tratamento é o transplante de fígado, para cirrose.

De acordo com o IBRAFIG, 1 milhão de pessoas têm hepatites virais no Brasil e desconhecem esse fato. São 500 mil com hepatite C e um número semelhante com hepatite B. A transmissão dessas hepatites se faz por via sexual e pela transmissão da mãe para o filho, no caso da hepatite B; e pelo compartilhamento de material perfuro/cortante, que tenha sido contaminado com sangue do indivíduo com o vírus, para a hepatite C.

Segundo a Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS), cerca de 1 milhão de pessoas morrem por ano no mundo, em decorrência das hepatites virais, com 3 milhões de novos infectados ao ano. As hepatites B e C juntas respondem por cerca de 74% dos casos notificados de hepatites virais no Brasil. Sozinha, a hepatite C foi responsável por mais de 76% das mortes por hepatites virais, no país, no período de 2000 a 2018, de acordo com o Boletim Epidemiológico de Hepatites Virais 2020, o mais recente editado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *