Município segue na Onda Vermelha com novas medidas restritivas para conter a Covid

Cataguases é um dos poucos municípios de Minas Gerais em que a vacinação contra a Covid-19 já alcançou a faixa etária acima de 35 anos para pessoas com deficiências ou com comorbidades.

Em uma semana marcada pelas preocupações diante do avanço de casos e de óbitos por Covid-19, o prefeito José Henriques assinou e tornou público, na tarde da última quinta-feira, dia 20, um decreto
com novas restrições visando conter o coronavírus. O novo documento mantém o funcionamento do comércio, mas por meio de serviços de delivery ou take away (em que o cliente vai ao estabelecimento retirar o seu pedido).

O decreto 5.348-N/2021 passa a vigorar nesta segunda-feira, dia 24, e determina que o comércio esteja aberto de segunda a sexta-feira de 8h às 18h e, aos sábados, 8h às 13h, a não ser que o estabelecimento
tenha alvará que permita funcionamento aos domingos. Já as atividades que trabalhem com alimentos poderão funcionar até meia-noite por meio de pronta entrega ou delivery.

O novo decreto também autoriza o retorno integral da frota do transporte coletivo com capacidade para 50% de passageiros sentados, torna obrigatório o uso de máscaras em espaços públicos e mantém a proibição da realização de festas e eventos. Proíbe ainda o consumo no local em restaurantes, bares, lanchonetes, que poderão funcionar apenas por serviços de delivery ou pronta entrega. Já as padarias poderão funcionar com atendimento interno, desde que respeitado o limite de um cliente por cada 10 metros quadrados.

Os hotéis devem limitar a capacidade de ocupação pela metade e os serviços de delivery de alimentos serão mantidos apenas em recepção. O decreto também recomenda que refeições ocorram, preferencialmente, por meio do serviço de quarto. As academias, salões de beleza e barbearias também devem limitar a capacidade de ocupação de seus ambientes em 50%, mas podem funcionar, respeitadas as normas sanitárias de segurança.

Enquanto vigorar sua validade, o decreto também suspende a gratuidade em transporte coletivo concedido por lei municipal para pessoas com idade entre 60 e 65 anos. O comércio varejista poderá funcionar desde que com barreiras em suas portas, sendo proibido o atendimento dentro do estabelecimento e liberado os sistemas de delivery e pronta entrega.

O decreto também veda a atividade religiosa e o funcionamento de igrejas e templos religiosos. O Mercado do Produtor e a Feira de Artesanato seguem liberados, desde que obedecidas as normas
de segurança sanitária. Os vendedores ambulantes regularmente licenciados poderão funcionar apenas para gêneros alimentícios, desde que o consumo não seja realizado no local.

DADOS EPIDEMIOLÓGICOS DA COVID-19

Na live da última sexta-feira, dia 21, o diretor administrativo da Secretaria Municipal de Saúde, Vinícius Franzoni, voltou a atualizar os dados epidemiológicos da Covid-19 em Cataguases. Embora os números mostrem pequena queda de novos casos, Vinícius observou que o momento ainda exige todos os cuidados para evitar avanços da doença. “O número de internados em ala de nosso Hospital de Cataguases, incluindo pacientes de outros municípios, segue superando, desde abril, a capacidade instalada de 100% para tratamento exclusivo da Covid”, destacou ele, advertindo para o risco de falta de leitos para tratar outras doenças.

Da mesma forma, desde o final de março, a UTI Covid segue acima de 100% da capacidade e, na última semana, chegou a 190%, ocupando quase todas as vagas da UTI geral do Hospital.

O diretor administrativo da Secretaria de Saúde justificou também o recorde da pandemia na cidade, na última sexta-feira, dia 21, quando se registraram 103 novos casos de Covid-19. “Com a abertura da Central Covid e a realização de testes, isso já era de se esperar. Mas é evidente que estamos com média elevada de novos casos diários e, enquanto a vacina não chegar para a maioria da população, temos que seguir usando máscaras, mantendo distanciamento social e fazendo a higienização constante das mãos”, relembra. Na última semana, a média geral foi de 52 casos ao dia, 1.7 de óbitos diários e as taxas de ocupação 120% na enfermaria e 170% na UTI do Hospital de Cataguases.

VACINAÇÃO

Vinícius voltou a frisar, contudo, que Cataguases é um dos poucos municípios de Minas Gerais que já alcança a vacinação da faixa etária acima de 35 anos, com comorbidades. “Fechamos quinta-feira, dia 20, com 24,15% da imunização em 1ª dose e 11,32% com 2ª dose”, disse ele, informando ainda que as médias em Minas Gerais estão em 20,61% para 1ª dose e 10,02% na 2ª dose e, no país, 19,49% na dose inicial e 9,54% na dose complementar. Ainda na quinta-feira, Cataguases totalizou 26.995 doses aplicadas, sendo também um dos municípios que melhor distribuiu a vacinação, com 12 pontos, evitando aglomerações. Na semana que passou, no Ginásio Poliesportivo Municipal, também foi concluída a vacinação de idosos e de profissionais de saúde que haviam recebido a primeira dose da Coronavac até o dia 19 de abril. Ele explicou ainda que é sempre aguardada para a segunda-feira a informação da Secretaria de Estado da Saúde para chegada de novas doses.

CENTRAL COVID E OS CUIDADOS DO PACIENTE

Vinícius também lembrou que têm sido comuns os casos de pessoas que chegam ao Hospital de Cataguases já com a doença em estado avançado, com os pulmões bastante comprometidos, o que dificulta a reversão do quadro. “Muitas vezes, por medo de se internar, o paciente tende a negar a doença. Isso não pode acontecer. Ao sentir os primeiros sinais de agravamento, como a falta de ar, procure a emergência hospitalar o quanto antes”, reforçou ele, voltando a chamar a atenção para os cuidados preventivos de distanciamento social e medidas sanitárias de uso de máscaras e a higienização das mãos.

O diretor da Secretaria de Saúde de Cataguases também explicou que a Central Covid é uma unidade de atendimento primário para diagnóstico incial, cuidados e tratamento inicial. “Ao chegar em casa, o paciente deve manter o isolamento e passa a ser monitorado pela equipe do posto de saúde, de acordo com sua residência e faixa etária. Caso ocorra algum agravamento não se deve procurar mais a Central, mas, sim, a unidade de saúde de seu bairro ou o Hospital de Cataguases”, explicou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *